Skip to main content

A pandemia de covid-19 trouxe mudanças tremendas à dinâmica das cadeias de suprimento ao redor do globo. A propagação do vírus alterou drasticamente não apenas as operações de diversos setores, em razão das medidas impostas visando a sua contenção, mas também as necessidades e o modo de consumo de toda a sociedade.

O mercado como um todo sofreu transformações históricas, cujo impacto ainda poderá ser sentido no futuro, mesmo quando as coisas voltarem a caminhar para um estado de “normalidade”.

Diante desse cenário de incertezas, como agir (e reagir) para que o seu negócio consiga superar as dificuldades ocasionadas pela crise e não entrar em colapso? Como é possível se reinventar durante e após um evento tão impactante para a economia?

Neste artigo, trazemos 4 lições valiosas sobre abastecimento em tempos de pandemia e o que os serviços de saúde podem aprender com essa situação.

1. Investir em dados aumenta a visibilidade

A visibilidade na gestão da cadeia de suprimentos diz respeito à obtenção e ao mapeamento de informações em tempo real, que possibilitem otimizar o trabalho e os processos de logística em diversos níveis.

Dessa forma, os dados assumem status de protagonista nos negócios que desejam adquirir vantagem competitiva, uma vez que trazem uma maior transparência às operações, além de promover: 

– Redução de custos;

– Maior capacidade de prever e avaliar riscos;

– Rotatividade inteligente do estoque;

– Identificação dos melhores fornecedores.

Num contexto como o da pandemia, ser capaz de acompanhar, em tempo real, dados sobre as etapas da cadeia de suprimentos, faz toda a diferença no momento de tomar decisões importantes e se antecipar a imprevistos.

2. Adotar tecnologias disruptivas se tornou essencial

As tecnologias disruptivas, como Inteligência Artificial (IA), big data e Internet das Coisas, são aquelas que geram transformações consideráveis no modus operandi das instituições, trazendo inovações e praticidades.

Há tempos elas vêm sendo implementadas em algumas cadeias de suprimentos (ainda que lentamente), e seus benefícios podem ser atestados pela diminuição das tarefas repetitivas, maior integração entre os setores, armazenamento seguro de grandes quantidades de dados, dentre outros fatores.

A disseminação da covid-19 fez com que operações, que antes eram presenciais, fossem reajustadas para que o contato entre os profissionais da cadeia diminuísse. É justamente nesse aspecto que a tecnologia vem desempenhar seu papel mais importante, no sentido de facilitar a troca de informações com facilidade e confiança, contribuindo não só para a otimização do negócio, mas para a sua sobrevivência.

Recursos como a Internet das Coisas, ou IoT (do inglês, Internet of Things), quando associados à manutenção preditiva, são capazes de  “efetuar inspeções remotas ou vistorias para chegar a um diagnóstico sem a necessidade de acesso físico às instalações”, como destaca a engenheira industrial Giset Natalia Montoya.

3. Investir em uma gestão integrada aumenta a eficiência

Como detalhamos neste artigo, o uso de sistemas que integram a gestão contribuem para uma comunicação mais ágil e fluida, um controle de estoque mais eficiente e, sobretudo, para a diminuição do estresse no ambiente de trabalho.

A integração pode ser obtida por meio de sistemas automatizados, que simplificam o cadastramento de produtos no estoque, controlam as entradas e saídas, definem o indicador de estoque mínimo e dinamizam as vias de comunicação, poupando tempo e saúde mental dos colaboradores.

4. Ampliar a base de fornecedores ajuda a evitar imprevistos

A viabilidade da cadeia de suprimentos depende impreterivelmente do desempenho dos fornecedores. No entanto, eles próprios também foram atingidos pela pandemia, o que gerou efeitos negativos como atrasos nas entregas e escassez de certos itens.

Em tempos de crise, a demanda por produtos específicos pode tanto aumentar exponencialmente quanto diminuir drasticamente. Ter uma noção realista das necessidades de consumo, levando o contexto pandêmico em consideração, é essencial para que seu estoque não fique desabastecido ou com produtos em excesso.

Por isso, é importante ter uma base ampla de fornecedores, além de monitorar constantemente o surgimento de novos parceiros potenciais. O cadastro de mais de um fornecedor para o mesmo produto (seguindo os princípios dos quadrantes de prioridades da matriz de kraljic), faz com que seja possível recorrer a fornecedores alternativos, o que pode ser a solução para evitar maiores contratempos nas atividades do seu negócio e garantir o abastecimento em tempo hábil.

Também é essencial poder contar com parceiros confiáveis, com quem se possa ter uma boa comunicação, garantindo a possibilidade de negociações flexíveis e uma relação mais colaborativa, no sentido de assegurar o fluxo da cadeia.

Ademais, uma das maiores habilidades (ou melhor, virtudes) que precisam ser desenvolvidas pelos indivíduos que compõem a cadeia de suprimentos é a resiliência.

Ela é a chave para a longevidade do seu negócio em qualquer contexto, mas principalmente no que vivemos. É a resiliência que permite que profissionais possam se reinventar e lidar com as dificuldades trazidas pela crise. É a união, por meio da ajuda mútua, que fará com que possamos contornar os prejuízos desses tempos difíceis.

Se você chegou até aqui, leia também sobre os desafios da gestão de compras e como superá-los!