Skip to main content

Com os avanços do setor logístico, conhecer e incorporar ferramentas que melhorem o controle do estoque pode ser um diferencial para o bom andamento das atividades do seu negócio. O SKU é uma dessas ferramentas que fazem toda a diferença no dia a dia das equipes de compras que o adotam.

De forma prática, trata-se de um recurso que serve para identificar os produtos em estoque, levando em conta suas características e seus diferentes tipos. Dessa forma, é possível gerenciar quantidades, datas de entrada e saída, preços e localização dos itens de forma muito mais prática e integrada, otimizando os processos do seu serviço de saúde.

Quer saber mais sobre o SKU e como utilizá-lo a seu favor? Vem com a gente!

O que é SKU e como ele é composto?

Antes de mais nada, é importante que você saiba que o SKU é um código criado dentro de uma empresa e apenas para uso interno, fazendo com que os atributos escolhidos para cadastrar os produtos sejam variáveis para cada negócio.

O termo vem do inglês Stock Keeping Unit, traduzido como Unidade de Manutenção de Estoque, e serve para especificar os tipos de insumos em estoque, com base em suas características particulares, tais como:

·         Cor;

·         Tamanho;

·         Forma;

·         Fabricante;

·         Material, dentre outras especificações.

O SKU de um certo tipo de item é formado por letras e números, de modo que possa ser lido por qualquer pessoa, possibilitando a identificação do produto e sua categoria de modo simples e eficaz.

Vamos imaginar uma empresa que tem cinco tipos diferentes de seringas armazenadas no estoque. Logo, é preciso gerar cinco códigos de SKU diferentes para essas seringas, sendo um para cada tipo, baseados em suas especificações.

O código SKU é designado por meio da identificação das características que tornam os insumos únicos e singulares dentro de suas categorias. Portanto, eles são absolutos para cada tipo de insumo, e não para cada unidade.

Pensemos agora num inventário que possui um total de duzentas máscaras, sendo cem peças no modelo PFF2 e cem peças de máscaras cirúrgicas. Assim sendo, teríamos apenas dois códigos de SKU distintos para esse conjunto de máscaras, atribuídos de acordo com os dois modelos diferentes.

Desse modo, fica bem mais fácil ordenar os produtos em estoque, não?

Qual a importância do SKU para o seu serviço de saúde?

A utilização do SKU para determinar os diferentes tipos de itens do seu inventário faz com que o gerenciamento do estoque seja otimizado, pois facilita a organização dos itens, a verificação da sua disponibilidade, sua localização e sua movimentação. Inclusive, já mencionamos o SKU em outro artigo do blog, destacando justamente sua capacidade de simplificar atividades de logística e a gestão de estoque.

Além disso, o SKU permite que a comunicação entre os setores também seja simplificada, o que confere transparência e objetividade às operações.

Logo, com a identificação apropriada dos insumos é possível evitar a falta de produtos essenciais à vida dos pacientes, o que melhora a qualidade do seu atendimento. 

Sem contar que com  uma gestão de estoque otimizada, é possível aumentar a produtividade e os lucros, além de evitar o desperdício de itens.

SKU vs. Código de barras

É comum que o SKU seja confundido com o código de barras, já que ambos representam formas de identificação de produtos. Contudo, há diferenças bem marcantes entre as duas ferramentas.

A primeira diferença está relacionada à leitura do código: enquanto o SKU é perfeitamente legível por pessoas, o código de barras só pode ser lido de maneira correta e funcional por um leitor com scanner.

A segunda diferença é que o código de barras é atribuído pelo fabricante a produtos unitários, enquanto o SKU é atribuído internamente, baseado nas características dos produtos, que os diferenciam uns dos outros (por isso, é muito importante ficar atento para que o mesmo SKU não seja designado a produtos com características diferentes).

Além do mais, já é possível incorporar o SKU a diversos softwares e sistemas de gestão, o que contribui ainda mais para o controle eficiente do estoque e para a integração de toda a equipe.

Por essas razões, o SKU é considerado o recurso mais vantajoso e prático para o seu negócio em relação à identificação de insumos, favorecendo não só uma melhor comunicação e maior produtividade, mas também a diminuição do estresse no ambiente de trabalho. 

Agora que você já conhece a importância do SKU para o seu negócio de saúde, que tal ficar por dentro das três etapas fundamentais para um inventário eficiente?