Skip to main content

Administrar uma cadeia de suprimentos de forma eficiente é uma tarefa complexa, mas essencial para qualquer negócio que almeja prestar seus serviços da melhor maneira possível, visando a satisfação do consumidor final e o aumento da rentabilidade.

Na área da saúde, quem está no centro das atenções é o paciente; é nele que os fornecedores, compradores e gestores devem pensar ao implantar boas práticas de gestão.

Integrar as operações de ponta a ponta, desde a fabricação dos insumos até a sua entrega, com maior colaboração entre os componentes da cadeia de suprimentos, tornou-se mais fácil graças ao conjunto de ferramentas e processos que formam o SCM (do inglês Supply Chain Management), do qual já falamos em detalhes aqui.

No entanto, devido às complexidades da cadeia, desafios e obstáculos são inevitáveis. Além disso, nos vimos diante de inúmeros eventos adversos nos últimos anos, que vão de desastres naturais causados por mudanças climáticas a tensões geopolíticas e econômicas, culminando numa pandemia. Fatos que, de uma forma ou de outra, afetaram a gestão de suprimentos de quase todos os negócios.

Portanto, sabendo que não se trata de “se”, mas de “quando” e “com que frequência” as dificuldades irão surgir, é preciso que todos os atores da cadeia estejam prontos para enfrentá-las. Sendo assim, confira a seguir os 4 principais obstáculos da gestão de suprimentos e como superá-los.

1. Parcerias ineficientes

Um dos elementos mais importantes da gestão da cadeia de suprimentos é o caráter colaborativo que deve orientar as parcerias comerciais, de modo que se possa construir uma relação benéfica e estratégica entre diferentes empresas.

Fornecedores que não são capazes de suprir as necessidades de compradores, seja por não entregarem boas cotações, seja por não cumprirem prazos, são bastante comuns e atrapalham o desempenho das atividades da cadeia. Mesmo os fornecedores confiáveis, com quem uma empresa já possui um bom relacionamento, podem passar por imprevistos que acabam prejudicando o seu negócio.

Para evitar contratempos como esses, é importante não se acomodar e sempre buscar novos parceiros potenciais, ampliando, dessa forma, a sua base de fornecedores capacitados.

2. Uso de ferramentas desatualizadas e ineficientes

Há muitos recursos tecnológicos que podem ser muito valiosos para uma boa gestão de suprimentos. Desde dispositivos que geram, armazenam e administram dados a plataformas que operam como sistemas centralizados de informação, otimizando funções de logística e a tomada de decisões.

Entretanto, quando tais recursos estão desatualizados ou não são utilizados corretamente, o seu negócio pode sofrer grandes impactos, como mau fluxo de informações e comunicação fragmentada entre os setores, o que reduz os lucros e prejudica o atendimento aos pacientes.

Felizmente, é possível contornar esses contratempos com investimentos em tecnologias mais modernas, que facilitam e flexibilizam o trabalho. Podemos falar, por exemplo, de sistemas SaaS, que, além de serem intuitivos e acessíveis para pequenas e médias empresas, oferecem soluções na nuvem, sendo capazes de armazenar grandes quantidades de dados com segurança e praticidade.

3. Dificuldade em controlar o estoque

O controle inadequado do estoque também pode causar grandes danos ao seu negócio e à cadeia de suprimentos, como a escassez de certos produtos e o desperdício de outros.

Isso normalmente acontece porque os gestores relutam em investir em tecnologias que integram os setores e centralizam as informações. Muitas empresas, inclusive, ainda armazenam dados de inventário de forma descentralizada, utilizando planilhas no Excel e enormes volumes de papéis, o que aumenta a margem de erros.

Logo, empregar ferramentas digitais no controle do seu estoque, com informações centralizadas, e utilizar outros recursos como o indicador do estoque mínimo, pode ser a solução para esse problema.

4. Falta de gerenciamento de risco

Fatores externos ao seu negócio também podem afetar a sua gestão de suprimentos, como mudanças no mercado ou na legislação, lançamentos de novos produtos, disponibilidade de crédito, questões de ordem política, novas demandas por parte dos pacientes, etc., como destaca esse artigo do Sebrae.

Portanto, é de extrema importância que os gestores estejam preparados para lidar com reveses desses tipos. Isso pode ser alcançado com um Plano de Gerenciamento de Riscos, que é capaz de identificar tais situações e o que elas implicam para o seu negócio. Dessa forma, torna-se possível superá-las.

Para tanto, é necessário que avaliações e reformulações sejam feitas constantemente na empresa, de modo a conhecer previamente as eventualidades mencionadas e antecipar os seus impactos. 

Como lembra Sun Tzu:

“Aquele que se empenha a resolver as dificuldades, resolve-as antes que elas surjam. Aquele que se ultrapassa a vencer os inimigos, triunfa antes que as suas ameaças se concretizem”

Agora que você já sabe como contornar os desafios que atrapalham a gestão de suprimentos, que tal ficar por dentro das 5 contribuições da inteligência artificial para a gestão de suprimentos da saúde? Não deixe de conferir!