Skip to main content

Seja para calcular a distância de um ponto a outro, preparar uma refeição ou escolher qual roupa usar em um dia frio, o fato é que as unidades de medida estão presentes em nosso cotidiano o tempo todo.

Na área da saúde, compreender as unidades de medida utilizadas no dia a dia de uma instituição é fundamental para garantir a qualidade dos insumos, evitar desperdícios ou compras em excesso e até a aplicação de doses equivocadas nos procedimentos dos pacientes.

Neste artigo, abordaremos de que forma as unidades de medida impactam a sua rotina, comprador, e como ter propriedade sobre elas te ajudará a negociar melhor.

As unidades de medida surgiram para organizar padrões 

A necessidade de medir está presente na humanidade desde o nascimento das civilizações. Ao longo da história, cada povo desenvolveu um jeito próprio de medir as coisas que estavam ao seu alcance. Acontece que, nos primórdios, esses sistemas de medidas eram imprecisos, uma vez que se baseavam em partes do corpo humano — como a polegada, o palmo e o pé —, e, como você pode imaginar, podiam variar de pessoa para pessoa.

A história dos pesos e medidas é extensa, e você pode saber mais neste artigo, mas o resumo da ópera é que a criação e padronização das grandezas físicas, hoje consolidadas pelo Sistema Internacional de Unidades (SI), surgiu com o objetivo de aumentar a qualidade dos produtos e facilitar as trocas comerciais no mundo, a partir de um padrão universal.

Vale destacar que o SI estabelece uma base para sete grandezas físicas. São elas: 

TABELA DE GRANDEZAS FUNDAMENTAIS DO SI

Unidades de medida comercial

Para além dessas grandezas fundamentais, há, no Brasil, uma ramificação de unidades de medida fora do SI que são utilizadas de acordo com o padrão comercial. 

Consolidada em 2017, a Tabela padrão de Unidade de Medida tem como objetivo uniformizar as unidades e siglas utilizadas nas trocas comerciais e emissão de notas fiscais para compradores, fornecedores e órgãos de fiscalização. 

A tabela apresenta uma lista com mais de 60 itens, uniformizando unidades de medida como cápsula (CAPS), embalagem (EMBAL), caixa (CX), metro cúbico (M3), pacote (PACOTE), dentre outros — acesse a tabela completa aqui.  

Os benefícios da padronização vão desde mais eficiência na organização e gestão do estoque, aumento da transparência entre os diversos departamentos do negócio, fim dos ruídos na comunicação com o fornecedor e maior controle financeiro e contábil.

Unidades de medida na gestão de estoque

Nos serviços de saúde, as unidades de medida estão presentes em todos os momentos: do atendimento médico às decisões estratégicas do departamento de compras. Por isso que, para mensurar o que precisa ser administrado e comprado, é fundamental que os profissionais da área incorporem tais grandezas em suas rotinas.

Caso contrário, qualquer imprecisão na dose de medicamentos, na calibragem da pressão de um equipamento ou, ainda, a falta de insumos — por calcular mal a quantidade de produtos que devem ser comprados — pode levar a complicações que prejudiquem a saúde e bem-estar do paciente.

Então, reflita: os insumos estão em estado líquido ou sólido? Eles serão administrados em gramas, gotas ou unidades? 

Conhecer a grandeza dos materiais utilizados no seu negócio de saúde é o primeiro passo para determinar a quantidade ideal de itens por pedido e, consequentemente, comprar de forma mais inteligente e estratégica, evitando, assim, a quebra de estoque ou produtos estagnados nas prateleiras.  

O que também significa menos ruído na comunicação no momento que você, comprador, estiver fazendo uma cotação e quando for enviar um pedido de compra para o fornecedor.

A tecnologia como aliada

Para dominar as medida e quantidades dos produtos utilizados no dia a dia do seu negócio, a dica é investir em um sistema de gestão. 

Essa iniciativa facilita a comunicação não só entre os departamentos internos do serviços de saúde, mas também com os fornecedores, que poderão se programar melhor para sempre atender às suas demandas.

Outra vantagem em adotar uma ferramenta digital e automatizada está na possibilidade de você ter uma visão abrangente sobre os hábitos e comportamentos de consumo dos seus pacientes, a partir da análise dos dados estruturados.

Essa estruturação dos dados é feita, justamente, por meio do registro e organização das informações essenciais de uma empresa, como atributos sobre pacientes, fornecedores e, claro, histórico de compras e quantidade de insumos.

Bom, agora que você já sabe a importância das unidades de medida para o seu serviço de saúde. Quero te convidar para ler o artigo Mapa de cotação: encontre os melhores preços e reduza seus custos